Livro do mês: O Código da Vinci - Dan Brown

Olá amores e amoras,

Fiquei sem postar o livro do mês anterior porque estava super ocupada com as últimas tarefas de ensino médio (graças a Deus terminou) e acabei nem lendo algum livro - pois é, choremos-, mas de qualquer forma terminei o Código (com muito custo) e até já comecei outro. 

livro do mês

Detalhes do livro:
Autor: Dan Brown
Editora: Arqueiro
Gênero: Romance policial
Ano: 2004
Nº de páginas: 475


Prefácio: Um assassinato dentro do Museu do Louvre, em Paris, traz à tona uma sinistra conspiração para revelar um segredo que foi protegido por uma sociedade secreta desde os tempos de Jesus Cristo. A vítima é o respeitado curador do museu, Jacques Saunière, um dos líderes dessa antiga fraternidade, o Priorado de Sião, que já teve como membros Leonardo da Vinci, Victor Hugo e Isaac Newton. Momentos antes de morrer, Saunière consegue deixar uma mensagem cifrada na cena do crime que apenas sua neta, a criptógrafa francesa Sophie Neveu, e Robert Langdon, um famoso simbologista de Harvard, podem desvendar. Os dois transformam-se em suspeitos e em detetives enquanto percorrem as ruas de Paris e de Londres tentando decifrar um intricado quebra-cabeças que pode lhes revelar um segredo milenar que envolve a Igreja Católica.
Apenas alguns passos à frente das autoridades e do perigoso assassino, Sophie e Robert vão à procura de pistas ocultas nas obras de Da Vinci e se debruçam sobre alguns dos maiores mistérios da cultura ocidental - da natureza do sorriso da Mona Lisa ao significado do Santo Graal. Mesclando com perfeição os ingredientes de uma envolvente história de suspense com informações sobre obras de arte, documentos e rituais secretos, Dan Brown consagrou-se como um dos autores mais brilhantes da atualidade. 'O Código Da Vinci' prende o leitor da primeira à última página.




Não sei se já contei para vocês mas, as vezes acabo um livro e como todo mundo eu fico sem dinheiro, o que eu tenho como sorte é que meu tio tem umas prateleiras com alguns livros diferentes que eu nunca li - ok, agora eu já li alguns -, então esse foi um dos livros que eu já estava super entediada e ele me recomendou. Preciso ser sincera ao dizer que demorei muito para começar a ler o mesmo, o começo é meio chato e esse livro é pura simbologia e filosofia, então foi dureza. Mas chega determinado (que não vou contar) que o livro começa a te prender e você quer ao máximo saber como é que a história vai se desenrolar. Outra coisa que fiquei um pouco confusa foi com o gênero do livro, ele diz ser romance porém o romance aparece apenas na última página, literalmente.

A história do livro gira em torno de um assassinato que teve dentro do Museu do Louvre, de um importante curador do museu que cuida de um importantissimo segredo a mais de 7 chaves. 
Quando esse homem é assassinado a culpa caí para Robert Langdon pois o curador deixa uma mensagem cifrada na cena do crime, e obvio que imediatamente é de fácil conclusão achar o assassino, porém tem muito mais por detrás deste crime. Quando a criptógrafa e neta, Sophie Neveu, descobre o caso toma por si própria para desvendar pois sabia muito bem o tanto que o avô gostava de quebra-cabeças. 
A cada página virada do livro é uma aventura nova, pois os dois - Robert e Sophie - fogem pelas ruas de Paris e até mesmo de Londres a procura do Santo Graal e seu misterioso segredo que deve ou não ser revelado e com toda a policia e a igreja atras deles. É uma busca incansável e longa, com aventura, símbolos, história, filosofia, amizade, confiança e uma pitada de tristeza. 

livro do mês

Eu super recomendo este livro, principalmente pra quem gosta de assuntos como história e filosofia, mas também para quem gosta de uma boa leitura e aventura, porque isso o livro tem para vender. O código da Vinci é uma livro razoalvemente grande porém seus capítulos são pequenos e é de fácil leitura. Eu gostei muito de ler e fiquei com gostinho de quero mais. 



"  - O que eu quis dizer foi...  - Não há nada no mundo que eu queira mais do que ir encontrar você em Florença, Robert. Mas só com uma condição. - Seu tom se tornou sério. - Nada de museus, nada de igrejas, nada de arte, nada de relíquias.    - Em Florença? Uma semana inteira? Não há mais nada para se fazer por lá.  Sophie chegou bem perto dele e tornou a beijá-lo, agora nos lábios. Seus corpos colaram-se um no outro, a princípio de leve, depois completamente. Quando ela se afastou, seus olhos estavam repletos de promessas.    - Então, está bem - Langdon conseguiu dizer, por fim. - Vamos só namorar. "


livro do mês


Nenhum comentário:

Postar um comentário