Diário de Viagem: Costa do Sauípe - BA

Em frente ao Elevador Lacerda em Salvador.

Olá amores e amoras,
Da pra acreditar que mal começou o ano e eu já fiz duas viagens ? Não, nem eu mesmo acredito, mas também foi pra compensar o tempo que fiquei sem viajar (acho que uns 4 anos). Dessa vez nos deparamos com Salvador, mas melhor dizendo, Costa do Sauípe, que na verdade é um complexo de resorts no litoral norte de Salvador, mais ou menos a 2h de Salvador.
Bom, a Costa do Sauípe é constituída por 5 resorts, sendo que um é o Sauípe Premium e os outros 4 são divididos em alas (Ala mar, ala sol, ala água e ala terra). Eu fiquei no Ala Terra e fiquei extremamente feliz, afinal pelo que vi é o mais bonito e também todos os atendimentos foram exemplares. O que mais gostei dessa ala é que a parte de diversão fica um pouco distante dos apartamentos, dessa forma há mais privacidade e silêncio para  o descanso, além de que a praia fica mais longe também (essa é a parte triste), porém mesmo achando a praia maravilhosa, eu achei que ela não é muito legal para banho, tudo bem que a que eu estava era rochosa, mas até mesmo a praia de frente para outras alas era ruim para se banhar. Mas valeu a pena de qualquer forma.


Eu embarquei para Salvador na quarta (17) e desembarquei domingo (21), no dia 18 foi dia para aproveitar o hotel, então fiquei na piscina (no qual tinha lazer muito bem organizado) e depois fui à praia. Ai lhe pergunto, como reclamar da vida tendo essa vista maravilhosa ? Complicado, não?!
O complexo possui sua própria vilinha, no qual é chamada de Vila Nova. Como fiquei na Ala Terra, era muito fácil ir para a vila, era só atravessar uma ponte que eu estava lá. Essa vilinha é repleta de lojinhas, restaurantes e tem um coreto onde a noite tem algumas apresentações e shows (eu tinha feito um vídeo dos capoeiristas, porém consegui apagar sem querer).



Já no sábado eu fiz um city tuor para conhecer a cidade de Salvador, pra ser sincera eu achei o passeio caro (R$130,00) porém como eu estava a 2h de Salvador levei em conta o transporte, e no final das contas valeu a pena. O ruim é que assim que saímos do hotel começou a chover e ficou assim o dia todo, no qual atrapalhou um pouco, mas brasileiro da seu jeitinho (ou seja, bota capa de chuva no turista). A primeira parada que fizemos foi no farol.




Logo após seguimos para o Elevador Lacerda. Não chegamos a descer pelo elevador (no qual é necessário pagar a quantia de R$0,15) pois iríamos conhecer outros lugares de Salvador.


Após conhecer o elevador, paramos em um museu onde conta a história das mulheres que tinham filhos indesejados no qual eram criados pelas freiras. E seguimos em direção ao pelourinho, e no caminho fizemos uma parada para o almoço (almoçei em um restaurante natureba) e visitamos a famosa igreja revestida de ouro (no qual é necessário pagar uma quantia de R$5,00). E finalmente seguimos para o pelouruinho.






Depois de ter feito umas simples comprinhas, seguimos para a igreja do Senhor do Bonfim, onde são amarradas as famosas fitinhas. Mas pera ai, você por acaso sabe para que serve essas fitinhas ou por quê elas são amarradas?
Vou contar, bom cada fitinha tem sua cor, no qual corresponde a uma divindade no Candomblé e um santo referente a igreja católica, na verdade essas fitinhas eram adquiridas pela graça - fé - no qual o beneficiado levava um retrato ou uma escultura em parafina ou cera da parte do corpo curada, e ai como troca recebia a fita. Claro que hoje em dia essa é apenas uma história, então hoje tem aquela velha tradição de fazer um pedido a cada nó (no caso são três) e deixar até a mesma cair sozinha. 



Mas claro que dentro do complexo Sauípe tem suas formas de diversão além da praia e da piscina, há o Sauípe Country, Sauípe Sport, Sauípe Spa e o Sauípe Naútico. No sábado eu aproveitei para conhecer o naútica e o country, e no naútico eu tive a experiência de andar de caiaque e ir na tirolesa, muito gostoso. O que mais gostei foi o caiaque que é tranquilo e não cansa. 


Se tem uma viagem que recomendo à vocês é esta, vale a pena e ficar 5 dias é muito pouco. Outra coisa que não me esqueço é a atenção, alegria, educação que os baianos tem, são um povo carismático, feliz e com muita lábia. Alô Bahia, te amo minha flô!

Até o próximo post amoras,um cheiro!

Nenhum comentário:

Postar um comentário