Eu fui! : Embu das Artes - SP


Olá amores e amoras,

Vocês já conhecem Embu? Eu já visitei o local algumas vezes, principalmente aos domingos quando rola uma feirinha pelas ruas da cidade, bem legal, você encontra de tudo.
Mas se tem uma coisa que tenho curiosidade, e como todos vocês já sabem, é pela história desses lugares diferentes, então bora lá.

Bom, a cidade Embu das Artes tem sua origem na antiga aldeia M'Boy, criado pelos padres da Companhia de Jesus na primeira metade do século XVII. Mas, de qualquer forma, essas terras montanhosas era onde ficava a fazendo de Fernão Dias Pais e Catarina Camacho, sua mulher. Porém em Janeiro de 1624 o casal doou a propriedade ao jesuítas, incluindo os muitos índios que ficavam em torno da sede, e Catarina para efetivar a doação impôs duas condições: o culto ao Santo Crucifixo e a festa a Nossa Senhora do Rosário.

Claro que a doação era muito conveniente, já que o jesuítas estavam sendo atacados por índios na aldeia próxima de Piratininga (vila que deu origem à cidade de São Paulo), e os mesmos procuravam um lugar mais seguro para catequizar os gentios.


A história da cidade é muito marcada pelos jesuítas e catequização dos gentis, então para o post não ficar muito extenso vou resumir. Se quiseram saber a fundo a história, tem um site muito bacana que fiz a pesquisa, acesse aqui.
Em 1760, os jesuítas foram expulsos do Brasil pelo Maquês de Pombal  e desde o início do século 19 a aldeia em decadência e permaneceu assim até os anos 20 desse século, quando Duarte Leopoldo e Silva determinou a recuperação da igreja. Sendo assim, em 1940 o conjunto jesuítico - que compreende a Igreja Nossa Senhora do Rosário e a residência dos jesuítas - foi considerado Patrimônio Nacional  e restaurado pelo SPHAN (atual IPHAN).


O centro história da cidade é uma atração por si só, abriga casas de taipa e construções bem preservadas que revelam como era a arquitetura no Brasil Colônia. A cidade abriga também o Centro Cultural Embu das Artes, o Museu do Índio, a Capela Santo Lázaro (foto acima), o centro de informações ao turista e diversas pousadas e restaurantes e claro, a famosa Feira Internacional de Artes e Artesanato.


Nos seus 43 anos de existência, a feira, no qual ocupa as ruas da cidade, hoje tem o seu circuito conhecido como Passeio das Artes. Nesse circuito você consegue encontrar pinturas, porcelanas, esculturas, instrumentos musicais, roupas, bijuterias, objetos de decoração. Além disso, ainda é possível encontrar diversas lojas, como galerias de arte, antiquários, lojas de artesanato e móveis artesanais de estilo rústico, outra forma por Embu ser tão conhecido.


Saindo da cidade história, a cidade também tem espaços de vegetação remanescente de Mata Atlântica, com trilhas que muitos são tentados a fazer caminhadas. Também há o Parque do Lago Francisco Rizzo, com 217 mil metros quadrados de área verde e um imenso lago povoados por dezenas de espécies de peixes.



Muito bom é aproveitar um belo domingo para conhecer a cidade e verificar essa feirinha cheia de objetos diversos.

Até mais amoras, beijos!

2 comentários:

  1. Muito bom saber um pouco mais da história do seu país, ainda mais de uma cidade perto de você.
    Eu já conhecia a feirinha, porém não sabia da vasta área verde que lá possue.
    Muito bom o post, continue com o belo trabalho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também já tinha ido na feirinha algumas vezes e nunca tinha pensado na história do local, mas realmente, é sempre bom saber a origem das coisas.

      Excluir