Exposição Cartier-Bresson e sua história.


Olá amores e amoras,


Se você é apaixonado(a) por fotografia, assim como eu, sempre está  atento aos eventos, exposições ou novidades do ramo. Fique sabendo da exposição do inspirador Cartier Bresson pela revista Fotografe Melhor que assino e fiquei louca pra ir. Mas calma, você sabe quem ele é?

Henri Cartier-Bresson é o fotógrafo mais influente do século XX, intitulado por muitos como o pai do fotojornalismo. Nasceu em agosto de 1908, na cidade de Chanteloup, no distrito de Seine-et-Marne, na França, e ganhou sua primeira máquina fotográfica de presente, uma Box Brownie  (falarei dela na segunda aula sobre a história da fotografia, leia a 1º aula aqui).


Obviamente que Cartier se apaixonou logo de cara pela fotografia e acabou se tornando um grande profissional de fotojornalismo, porém ficou famoso por retratar eventos e momentos do dia-a-dia, tudo porque ao retornar de uma viagem à África e ficar doente, Bresson passou pelo município de Marselha, onde adquiriu uma Leica com uma objetiva de 50mm, e contemplou uma fotografia do húngaro Martin Munkacsi, no qual descrevia três jovens negros correndo rumo ao mar.


Ao final da Segunda Guerra Mundial, em 1947, Cartier fundou a famosa agência fotográfica Magnum, em parceria com Bill Vandivert, Robert Capa, George Rodger e David Seymour, onde ele começa a produzir imagens mais aprimoradas, publicando fotos célebres em revistas como: Life, Vogue e Harper's Bazaar, percorrendo diversos países a trabalho dessas revistas.
Assim, Cartier-Bresson visitou o continente europeu, a América do Norte, Índia, Indonésia e registrou imagens únicas em cada local, como a morte de Gandhi. Foi também o fotógrafo europeu pioneiro nas revelações do cotidiano na União Soviética em pleno regime comunista, com autorização para tal. 


O fotógrafo usou sua antiga Leica pra todos os trabalhos, apenas com filmes preto e branco (P&B) pois não tinha afinidade nenhuma com os implementos fotográficos. 
Henri Cartier-Bresson faleceu em 2 de agosto de 2004, aos 95 anos, na Provença, em seu país natal e em homenagem a esse ícone da fotografia mundial, a Galeria de Fotos do Centro Cultural Fiesp, apresenta uma exposição inédita no Brasil com 58 fotos selecionadas pelo curador João Kulcsár, sendo famosas pelo conceito do "momento decisivo" publicado no livro Images a la Sauvette, em 1952.


A exposição Henri Cartier-Bresson, primeiras fotografias ficará disponível até 25 de junho, podendo ser visitada diariamente das 10h às 20h e é gratuita.

Local: Galeria de Fotos do Centro Cultural Fiesp (Av. Paulista, 1313 - em frente à estação Trianon-Masp do metrô).



Nenhum comentário:

Postar um comentário