17 setembro 2018

Livro do mês: O Sofrimento é Opcional - Monja Coen


Olá amoras,

Setembro é o mês em que damos mais atenção ao suicídio, conhecido como Setembro Amarelo, e despropositadamente eu comecei a ler um livro que fala sobre depressão, de como conseguimos superá-la.  Quem me acompanha no instagram (@thaiiidutra) viu que falei desse livro e que iria, com certeza, fazer um post sobre ele. Cá estou!

Quem indicou esse livro foi a influencer Manoela Meinke, que costuma indicar livros muito bons e reflexivos. O título já me chamou bastante e atenção e ainda bem que comprei porque é muito bom mesmo!

Detalhes do livro:
Autor: Monja Coen
Editora: Bella Editora
Gênero: Religião
Ano: 2017
Nº de páginas: 112


Sinopse: O mal do século XIX era físico, ainda que muitos poetas e escritores o tenham romantizado. Era a tuberculose. Não tinha cura, na maior parte dos casos só restava esperar por um fim lento e doloroso. Algumas dessas mortes foram retratadas em romances e poesias de grande aceitação. Sofrer do mal do século, para alguns era uma glória. Passadas várias décadas, outros tipos de enfermidades e transtornos, erroneamente diagnosticados como de fundo puramente emocional, como a depressão, pouco têm de “glamourosos”. Sidarta, recém-iluminado, livre da própria depressão, dedicou o resto de seus dias a ensinar como dominar as causas do sofrimento. Este livro conta de uma forma simples, agradável e cativante quais foram os passos que levaram a autora ao domínio da depressão.



Eu poderia escrever esse post inteiro somente com frases do livro, já que a cada página há uma frase impactante que te faz refletir. E a primeira frase do livro é essa da imagem acima, do grande Buda, uma frase forte e verdadeira ao extremo.

Me identifiquei muito com a mensagem que o livro traz, pensamentos que eu já tinha, mas que só me fez enxergar a veracidade e que é algo que pode mesmo ajudar as pessoas, não somente no dia a dia, mas em questões mais complexas como a depressão e ansiedade. 

A monja Coen basicamente nos ensina como levar uma vida mais plena, calma e feliz. Nos ensina algo que, na verdade, já nascemos sabendo. Como assim, nascemos sabendo? Nós nascemos com plena calmaria, porém o dia a dia, as questões da vida nos fazem modificar as coisas, as circunstâncias nos levam a fazer com que a vida seja mais complicada, pesada e na verdade, não precisa ser assim, nunca precisou e não é!

Depressão existe, mas sofrer é opcional. Problemas, dores, dificuldades existem. Há caminhos de libertação e de alívio.



No livro, a monja conta sobre a vida de Buda e a depressão no qual ele enfrentou. Gostaria de continuar daqui, porém preciso explicar algo do livro que achei muito interessante. 

Hoje, com as "doenças do século XXI", acreditamos que depressão é apenas a doença em si, quando precisamos de ajuda médica e psicológica, porém não é assim que funciona. Todos nós passamos por momentos depressivos, aquele no qual a tristeza é profunda, mas passa. Mas isso não quer dizer que precisamos deixar pra lá, precisamos aprender com os momentos de tristeza, a mudar aquilo que não nos faz bem e foi exatamente isso que Buda fez e ensinou.

Continuando...

Além de contar sobre a vida de Buda, a monja também aborda sobre os seus momentos depressivos e como os ensinamos budistas ajudaram-na a melhorar. Em meio aos ensinamentos, por ser um livro baseado no Zen Budismo, aparecem alguns termos importantes e que são muito bem explicados e elaborados, como: 

  • Dukha: que quer dizer insatisfação. A lição é que o dukha existe, não tem como negar que a depressão e a tristeza exista, mas acima de tudo, para uma vida melhor, é necessário reconhecermos o sofrimento e motivo pelo qual ele existe.
  • Nirvana: não, não é a banda. Nirvana é um estado de paz e tranquilidade e esse estado é o natural de todo e qualquer ser humano. 
  • Mente Bodai: uma mente iluminada, à procura da sabedoria perfeita, da clareza, amorosidade, ternura, compaixão e acolhimento.
  • Zazen: sentar-se em zen, ou seja, ficar em plena atenção, mindfulness.
  • Samadhi: estado em que a mente está livre de distrações, absorvida em intensa concentração sem propósito definido.

Não são esses termos que fazem você entender o livro e a mensagem que ele passa, pois a linguagem utilizada pela monja é muito simples, de fácil entendimento. 

Outra fator importante do livro é que a monja incita bastante a meditação, a respiração consciente, mas acima de tudo a mudança de comportamento que somente você é responsável.

Mudar um comportamento está na essência do processo de desfazer a depressão. Precisamos aprender novas maneiras de ser e de pensar. Precisamos nos levantar e fazer mudanças em nossas vidas.


Não é fácil mudar. Não é fácil mudar comportamentos, pensamentos, crenças, mas é possível. Tudo é questão de treino, você não nasceu sabendo andar e falar, você aprendeu, da mesma forma funciona os seus pensamentos, ações e comportamentos, foram aprendidos e são/podem ser mudados, depende somente de você!

Não é fácil. É treino. Treino inicial difícil, que depois se torna um hábito tranquilo. Mudança de comportamento que muda o modelo mental.

Por fim, quero deixar claro que depressão não é algo simples como treinar a mudança de um pensamento. Depressão é coisa séria, é uma doença, não é apenas psicológico, é biológico e precisa de tratamento médico e psicoterápico! 

Espero que tenham se interessado pelo livro e espero, de coração, que leiam. Ele é bem curto, rápido e fácil de ler. Boa leitura!


Podemos trocar um pensamento errôneo e destrutivo por outro correto e construtivo. Podemos escolher e modificar a nossa forma de pensar. Escolhemos pensamentos.            - BUDA

Até breve amoras!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

SONHOS AFLORADOS
LAYOUT POR LUSA AGÊNCIA DIGITAL